20 de setembro de 2016

A Revolução Farroupilha e o massacre dos Lanceiros Negros

O texto abaixo foi  escrito pelo jornalista Daniel Isaia e publicado originalmente no site Trendr. O texto original pode ser lido aqui.

Por Daniel Isaia

Foi no dia 20 de setembro de 1835 que as tropas farroupilhas comandadas pelo general Bento Gonçalves se rebelaram contra o Império do Brasil e proclamaram a independência da República Rio-Grandense. Deu-se início à mais longa guerra separatista da história do País.

A Revolução Farroupilha não foi uma revolta do povo gaúcho, mas dos grandes proprietários de terras — que estavam insatisfeitos com as leis federais e com a quantidade de impostos. Nos campos de batalha, no entanto, quem protagonizou a luta (em um primeiro momento) foram os mestiços, os índios e os brancos pobres.

18 de setembro de 2016

A escola dos Annales: glossário

Quando se iniciam os estudos sobre a História, especialmente no Ensino Superior, é comum que haja alguma confusão entre os iniciantes sobre os significados de certos conceitos, alguns dos quais permanecem ambíguos ou pouco claros mesmo para quem já tem alguns anos de estrada na área. Isto, reproduzimos aqui o glossário inserido no final do livro A escola dos Annales: a revolução francesa da historiografia 1929-1989, de Peter Burke, que pode ser de grande valia e responder à clássica pergunta “O que significa...” relacionada aos termos abaixo.

15 de setembro de 2016

O levante de 44, de Norman Davies

O levante de Varsóvia de 1944 - muito confundido com o levante do gueto de Varsóvia de 1943 - é um dos eventos históricos mais importantes para os poloneses hoje. Durante décadas o evento esteve vulnerável às contingências históricas relativas à situação polonesa do pós-guerra, desde a intensa censura do período stalinista aos afrouxamentos que se seguiram, bem como a democratização após 1989.

E sobre este evento, o historiador Norman Davies escreveu um importante livro. O levante de 44: a batalha por Varsóvia é uma obra bastante encorada sobre o assunto, e felizmente o mercado editorial brasileiro conta com a tradução desta obra.

13 de setembro de 2016

Dez histórias de Narcos que ocorreram - e outras que não foram bem assim

O texto abaixo foi publicado originalmente no site da BBC Brasil. O texto original pode ser lido aqui.

Por Luiza Bandeira
Logo no primeiro episódio da primeira temporada, a série "Narcos", do Netflix, diz que o realismo mágico trata de coisas "muitos estranhas para ser verdade" – e que há um motivo para ele ter nascido na Colômbia.
De fato, é difícil acreditar em diversos acontecimentos da vida do traficante colombiano Pablo Escobar (interpretado por Wagner Moura) que são narrados na série, cuja produção executiva é de José Padilha (que também dirigiu dois episódios da primeira temporada), e cuja segunda temporada foi lançada no início de setembro.
Por ser uma pessoa que vivia na ilegalidade, Escobar é cercado de muitos mitos. É difícil dizer se alguns fatos realmente se passaram ou são apenas boatos.
A BBC Brasil ouviu especialistas para tentar desvendar o que realmente ocorreu e o que era ficção na primeira temporada.

9 de setembro de 2016

“El Don”: senhores e nobres na Idade Média



Por Rodrigo Prates de Andrade

Lançada no dia 02 de setembro de 2016, a segunda temporada de Narcos – seriado produzido pela Netflix – fora marcada pela derrocada de Pablo Emilio Escobar Gaviria um dos maiores drug lords da América Latina. Referido na séria muitas vezes como Don Pablo, o narcotraficante colombiano não fora o único a receber o pronome don – outro importante personagem da série fora Diego Fernando Murillo Bejarano, o Don Berna.

7 de setembro de 2016

Refugiado ou migrante? Entenda a diferença

Diante da atual crise de refugiados, a maior desde o fim da Segunda Guerra Mundial, em várias partes do mundo buscam-se soluções para os problemas que advém de tamanho deslocamento de grupos humanos, ainda mais diante dos efeitos ainda vigentes da maior crise econômica mundial desde a crise de 1929.

Nesse contexto, quando analisamos certas retóricas públicas veiculadas nas diferentes mídias, seja em artigos de opinião ou notícias expositivas, há muita confusão no que concerne às questões humanitárias relacionadas ao abrigo  de refugiados, bem como as diferenças jurídicas destes para com os imigrantes ou emigrantes. E é sobre isso que falamos aqui.